Pular para o conteúdo principal

Não perdoe. Mas se perdoar, não esqueça.

Li isso em algum lugar e não sei mais onde foi...



Você já deve ter brigado com muita gente na vida, com e sem razão.
Com algumas, voltou às boas; com outras, não, mas agora, seria a hora de passar uma borracha em todas essas bobagens e ficar em paz com o mundo em geral.
Como toda vida vem carregada de excelentes intenções, não vai ser diferente. Mas, para isso, é necessário voltar no tempo, lembrar, refletir: e, como já dizia aquele grande filósofo, cada caso é um caso.
Lembra daquela ex-amiga(o) que era sua(eu) confidente e que sem nenhum escrúpulo transou com seu(sua) namorado(a)? Não é hora de perdoar? Tão bonito o perdão, tão nobre; vamos, perdoe. Quando encontrá-la(o) de novo, vai sentir o coração aliviado e se achar magnânima(o), superior, um ser humano digno da admiração da humanidade. Lindo, não?


Em termos; só de lembrar o que ela (ele) fez, já sabe que não dá para perdoar. O perdão é um sentimento nobre, digno dos deuses, mas, como você é apenas uma pessoa normal, com os pés na terra e com memória, essa não vai dar, e pronto. Continuemos.
Houve um tempo em que você passou por uma fase meio em baixa, e houve alguém, impossível esquecer, que tratou você com um certo pouco caso. Nada de mais, nada que se possa contar em palavras, mas que calou fundo no seu coração: um tipo de maus-tratos que alguns fazem com pessoas que estão aparentemente fora do baralho. Só que dentro de seus códigos morais isso não se faz, e você não esqueceu. Agora que as coisas mudaram, quando essa pessoa procura lhe agradar e bajular, você lembra e fica com raiva.
É hora de deixar tudo isso para trás, zerar todas as lembranças que só nos atrapalham e nos impedem de ser felizes. Que tal esquecer todos esses episódios e ficar com o coração novinho em folha, sem um só ressentimento, uma só mágoa?


A humanidade não é perfeita, e a grande sabedoria é aceitar os outros como eles são, com suas qualidades e defeitos. Então, que tal tirar esse peso da alma e entrar na de paz com a vida de uma maneira geral?
Seria lindo se fosse possível, mas não nesse caso.
Ah, se o tempo pudesse voltar, para poder dizer as coisas certas que na hora não soube dizer ou não teve coragem. Só assim se fica com o coração em paz e leve: quando sabemos nos defender e não deixamos que ninguém nos faça sofrer sem uma reação, e quanto mais rápida ela for, melhor.
Agora vem a minha desenfreada sinceridade. ahahahah. Isso serve para aquelas que cutucam, mexem e depois não suporta ser trocada ou substituída, e por fim acaba se tornando uma criatura VINGATIVA.
Olha, nao adianta você querer posar de criatura superior, porque nesse planeta que é uma criação de Deus,
assim como as pessoas que a feriram não são perfeitas, você também não é, e provavelmente não vai mudar, ninguém muda na sua essência.
Para entrar numa vida relativa paz, basta continuar como sempre foi: essas pessoas, e outras, de uma boa lista, devem se tornar apenas invisíveis. Sem drama, tipo “elas morreram para mim”. Não tem coisa pior do que um "gelo" bem dado. Qualquer um se irrita de tal forma ao ponto de mudar a forma que te trata.
Eu sei que existem pessoas que me amam (de verdade), existem aquelas que me suportam (por educação), e outras que me acham intragável (por pura inveja), e os que são sinceros e diz logo que não vao com a minha cara (é a minoria, mas existem).
Eu erro. sou humano e se não sou demasiado humano, pelo menos sou humano por muitas vezes entre a hora de acordar e a hora de dormir e erro.
Porque ser tão odiado e adorado assim?
Sou detestado pelas "exs"


Sou terrivelmente odiado pelos namorados (Essa fama que me rotularam de ladrão de corações (namoradas), nao roubo namorada de ninguém. Os caras não dão assistência, depois reclamam).
Sou amado pelos que me conhecem, me entendem e sabem conviver comigo.
Sou amado pela mulher que me ama.
Sou intragável para muitos do diHITT. ahahahha
Sou amado para alguns (as) do diHITT

Se alguém te fez algum mal no passado, quando encontrá-las, não olhe, não pense, não lembre para não sofrer e evitar o ódio, que envelhece. Eis um dos motivos que continuo em forma. Eu jamais deixarei de dormir por causa de picuinhas ou se você estirou a língua pra mim.

Dentro da imperfeição humana, nunca ter feito nada contra elas já está mais do que bom, e, contrariando toda a doutrina cristã, não perdoe. Mas se perdoar, não esqueça.
Uma dica que eu dou. Mantenha sempre o inimigo próximo a você, ao seu alcance. Assim você continua cultuando e alimentando a falsa amizade que ele tem por você, e fica de olho e antena bem aberto no que ele possa armar contra a sua pessoa.
É eficaz!

P.S: Ter 20 amigos e dizer que sou amado por todos não reflete minha vida real. Mas quem se importa com a vida real? A pós-modernidade nos legou a vida ideal, mesmo sendo simulacional. Todos querem essa vida. Qualquer vagabundo pode tê-la.


Era uma vez um rapaz que pediu a uma linda garota:
- Você quer se casar comigo?
Ela respondeu:
- NÃO!
E o rapaz viveu feliz para sempre, foi pescar, saiu com as mulheres que sempre quis e bebeu cerveja à vontade pelo resto da vida.

FIM.

AVISO direcionado aos dihittianos.
Vejo ultimamente que andam votando muito nas minhas postagens, porem comentar que é bom, nem la e nem cá. Mas saber pedir é bom né?
Eu sempre fui bonzinho, votando e comentando de acordo com meu ponto de vista e vontade. E sem seguir panelinhas...Voto e comentario pro novato quanto pro veterano.
Mas as coisas podem mudar.
Agora será conforme a situação anda exigindo. Votou? terá o seu votado também. Comentou? Terá comentário também. (abrindo o parêntese caso for uma postagem que nem ser quer linha da raciocinio tenha para se comentar)

Comentários

  1. Diego,

    Muito bom o seu texto, pois falar em perdão é sublime.

    Eu não me incluo entre os que não votam e não comentam... hehehehe Sempre que posso estou presente...

    Também não me incluo nos dihittinianos que não gostam de você, pois Eu Te Amo!

    Por último, quero deixar uma frase que está estampada em uma camiseta que eu tenho e é muito linda: Para não ser preciso pedir perdão, o melhor é não magoar ninguém.

    Bjs.

    Rosana.

    ResponderExcluir
  2. Buenas Guri,

    Não sou daqueles que te amam e nem te odeio no diHITT, sei que voto mais que comento, mas parece que é assim comigo também...

    Mas tamo na área...

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Olá, amigo Dieguito!

    O perdão deve fazer parte da vida de cada um de nós. Perdoar faz bem a todos, a quem é perdoado e a quem perdoa. Gaerdar rancor, raiva e ódio não faz bem a ninguém.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  4. Mas tu és muito magnânimo nisso do perdão. Eu não. Olha, quando alguém me faz alguma acção que não gosto eu perdoo logo. Mas é logo.
    Depois desligo completamente dessa pessoa. Mas completamente.
    Só me lembro que ela existe quando eventualmente a vejo. Há quem diga que eu sou orgulhosa. Acredita que não é verdade. Tenho é o direito de não "fazer sala" com quem não gosto.

    Beijos
    Luísa

    PS: ando atrasada nas leituras! eheheh

    ResponderExcluir
  5. Saudações!
    Amigo Diego,
    O seu texto está muito bem estruturado em cima de um sentimento lúcido. Gostei muito de sua narrativa, por isso é que gosto muito de você!
    Sobre a matéria em tela, penso que é melhor exercitarmos perdoar a nós mesmos, daí partimos e aprendemos a perdoar os demais.
    Parabéns pelo excelente texto!
    Ótimo Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…