Pular para o conteúdo principal

Um alerta! Saiba o que é TROMBOSE.


VOCÊ SABE O QUE É TROMBOSE VENOSA PROFUNDA?

O QUE É TROMBOSE?

Quando nos ferimos, o sangue que sai da veia coagula (forma uma “rolha”, o coágulo) rapidamente para evitar maior perda de sangue. Este é o processo normal. Quando esse coágulo se forma dentro de um vaso sangüíneo (artéria ou veia), ocorre o que chamamos de trombose, ou seja, a formação de um coágulo ou um trombo, como é melhor conhecido, dentro do vaso, e isso é prejudicial. Aqui vamos falar da trombose que ocorre nas veias profundas das pernas, a Trombose Venosa Profunda (TVP), que chamaremos simplesmente de trombose daqui para a frente.



QUE TIPO DE TROMBOSES EXISTEM NAS VEIAS DAS PERNAS?


Quando a trombose ocorre nas veias superficiais da perna é chamada de varico-trombose. Este tipo de trombose é fácil de ser notada, pois ocorre vermelhidão, endurecimento e dor no local, e é também de tratamento mais simples. Quando a trombose ocorre nas veias profundas das pernas, aquelas que ficam nos músculos, chamamos de Trombose Venosa Profunda (TVP), e este tipo, na maioria das vezes, não é facilmente diagnosticado. Em alguns casos, a doença pode levar à morte se não for tratada.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA TROMBOSE?

Os sintomas mais freqüentes da trombose são:

- dor intensa , inchaço e endurecimento da perna com aumento da temperatura;

- palidez e coloração azulada (em casos mais graves).

O QUE A TROMBOSE PODE CAUSAR?

O trombo inteiro ou parte dele pode se soltar e seguir para o coração e para os pulmões pela corrente sangüínea. Quando uma parte do trombo chega aos pulmões, ocorre a embolia pulmonar (EP), que poderá levar a pessoa à morte imediata, dependendo do tamanho do trombo. Outra consequência da trombose, é o fato do trombo que se formou na perna continuar a crescer lesando as válvulas das veias. Estas válvulas evitam que o sangue fique retido nas pernas e quando elas são danificadas, o sangue que deveria ser impulsionado para o coração, fica acumulado naquela região. Desta forma, os e sintoma são: perna inchada e inflamada, dor e úlceras varicosas. Estas úlceras podem ser agravadas por infecções (erisipelas).


POR QUE AS PESSOAS DESENVOLVEM A TROMBOSE?

Porque determinadas pessoas possuem fatores de risco para adquirir a doença, ou são submetidas a situações de risco que causam a mesma?

Aqui vamos citar alguns fatores de risco que o próprio indivíduo pode possuir e também algumas condições clínicas nas quais ele pode se encontrar e que representam risco de trombose:

- idade (maior de 40 anos)

- obesidade;

- indivíduos que já tiveram trombose;

- imobilização (indivíduos que ficam confinados na cama, em casa ou no hospital por alguma doença);

- câncer;

- insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio;

- gravidez;

- uso de anticoncepcional, infecção e doenças que causam alterações da coagulação (de causa genética ou adquirida).

Além disso, as cirurgias são consideradas um dos fatores mais importantes quando se fala em risco de desenvolver trombose, principalmente as de grande porte e de longa duração. (ex: cirurgias ortopédicas e abdominais).

Você sabia que:

- Um paciente que for submetido a uma cirurgia ortopédica (quadril/joelho) tem chance de até 80% de desenvolver trombose após a cirurgia?

- Os pacientes com câncer têm risco de 20% de desenvolverem trombose em algum momento da sua vida e se forem operados este risco pode chegar até 70%?


A trombose é muito mais freqüente do que imaginamos! Devemos considerá-la uma doença grave e que deve ser evitada!

COMO A TROMBOSE PODE SER EVITADA?


Levantando e andando precocemente após as operações;

- Movimentando as pernas dos pacientes acamados;

- Usando meias elásticas no pré e pós-operatório;

- Utilizando o método de compressão pneumática com uso de aparelhos (em alguns casos);

- Utilizando anticoagulantes em doses baixas (ex: heparina) em pacientes considerados de médio ou alto risco para o desenvolvimento da doença.

COMO UMA PESSOA DESCOBRE QUE TEM TROMBOSE?


Em primeiro lugar, precisa sempre estar atenta aos sintomas e sinais da doença e assim que eles aparecerem procurar imediatamente seu medico. O médico fará alguns exames especiais para se certificar que o quadro clínico é trombose. Existem vários exames disponíveis atualmente: dúplex-ultrassom, pletismografia, ressonância nuclear magnética e eventualmente a flebografia.

COMO SE TRATA A TROMBOSE?


O tratamento mais indicado e mais comum para a trombose venosa profunda é com anticoagulantes. Como já discutimos, a trombose venosa profunda se caracteriza pela formação de trombos (coágulo) no interior das veias. Desta forma, estes medicamentos tem como função impedir que o trombo continue progredindo evitando os riscos das complicações da doença. O tratamento se inicia com um anticoagulante chamado heparina. Este medicamento é administrado no hospital, de modo contínuo gota a gota na veia ou com bomba de infusão e com a realização de constantes exames laboratoriais para que a dose do medicamento seja controlada. Atualmente, pode-se também utilizar a heparina de baixo peso molecular, com aplicações subcutâneas, dispensando a necessidade de exames laboratoriais e permitindo, em muitos casos, o tratamento em casa, sem a necessiadde de internação.

O tratamento com heparina é seguido pelo tratamento com anticoagulante oral, que como o próprio nome diz, é um medicamento administrado por via oral durante 3 a 6 meses ou até por mais tempo, conforme orientação médica.


HÁ OUTROS TRATAMENTOS PARA A TROMBOSE?


Sim, o uso de medicamentos “fibrinolíticos” que destroem o trombo. São porém pouco utilizados no nosso meio pelo seu alto custo e devido a reações hemorrágicas que podem provocar. Há também a cirurgia que retira o trombo. É reservada para casos especiais, como aqueles de trombose com o risco de gangrena (necrose). Há ainda, o tratamento através da colocação de filtros na veia maior e mais próxima do coração, a veia cava. Estes filtros deixam escoar o sangue, mas impedem a passagem dos trombos para o pulmão. Sua maior indicação são as tromboses e embolias pulmonares de repetição ou nos casos de contra-indicação dos anticoagulantes.


RECOMENDAÇÕES


Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento de seu médico.

Procure seu médico sempre que houver dúvida sobre algum medicamento

Autor: Dr. Eduardo Ramacciotti


Comentários

  1. Aceito a parceria de link. Vou colocar o seu no meu blog agora mesmo!
    Abs.

    http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. olá,gostei do seu blog estou cm trombose e sempre fiko pesquisando sobre o assunto!ESTOU CM TROMBOSE DESTE 14 DE AGOSTO 09,em veia fibular profunda e meu tto fikou cm o uso d MAREVAN compressas quentes, e perna p cima durante 3 meses!Meu médico disse q é protocolo internacional e se eu não cuidar posso fikar cm sindrome pós trombótica e sem cura daki alguns anos!E tdo isso de cama mesmo!
    obrigada pela ajuda
    meu msn malucowgirl@hotmail.com também fiz um blog a respeito!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…