Pular para o conteúdo principal

Minha versão Argos de ser.



Rebelião de coisas, fatos e tragédias acontecendo a nossa volta, e a nossa situação e nos fazermos de cegos, surdos e loucos.


Isso me faz lembrar um personagem da mitologia grega que cai como luva. Encontrei o “Argos”, o monstro de cem olhos, que foi designado por Hera a guardar Io, a amante de Zeus. No meu caso mandei ele vigiar e cuidar da minha mulher que anda naquele frio congelante de Paris.


Não querendo ser egoísta, sério mesmo! Quem precisa de um Argos assim é o Brasil. Nesse caso seria imprescindível, seriam úteis que os 100 olhos estivessem sempre abertos, e não como na mitologia, em que enquanto 50 dormiam, os outros 50 ficavam em alerta. Porque no nosso país o poço é sempre mais embaixo, e se a gente piscar, os a política, a ganância, a ignorância do povo que não sabe votar, a negligência e descaso, a violência e a exploraçao infantil podem nos comer vivos. Vale salientar que aqui no nosso Brasil, além dos olhos, é preciso ouvidos aguçados e os nossos "ticos" e "tecos" funcionamento a todo vapor.


Mas é claro, população brasileira vive na OMISSÃO, e ainda usam aquela terapia ocupacional “FESTAS, PIZZAS E BALADAS” para esquecer os fatos reais. E assim, muitos preferem fechar o par de olhos que, tapar os ouvidos e dar férias para o Tico (marajá), enquanto o Teco trabalha (operário). MAS EU NÃO SIGO O MESMO REBANHO.


Não venha me achar pretensioso, ou um deus da mitologia ou algo parecido. Apenas quero como uma cidadão comum insatisfeito e inconformado com o que está vendo a minha volta, e  me restou mãos e boca para reclamar, e paciência. Não vou querer bancar o anjo mau. Se esse simples texto vai surtir algum resultado? Sou realista, sei que não. Mas aqui na minha vida real pelo menos incentivei outras pessoas.

Fonte Pedindo passagem - adaptação Mr.Jones

Comentários

  1. Grande Dieguito!
    Com certeza temos que manter os olhos bem abertos, os ouvidos bem abertos e gritar o mais alto que pudermos quando vemos sujeiras no nosso país... mesmo que só nosso vizinho escute (e as vezes jogue um sapato para nos fazer parar)... ;-) rsrs
    Uma vez vi um texto muit bom do Kanitz... se achar te mando... acho que vais gostar.
    Grande abraço, Fernandez.

    ResponderExcluir
  2. Diego

    Bravo!...Assim se fala!...
    Não é só aí no Brasil...é em tdo o mundo.

    beijnhos
    joana

    ResponderExcluir
  3. Olá Diego,

    Talvez seja a versão quixotesca que todos nós abrigamos no nosso interior...

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá Diego!

    Essa é uma tarefa muito difícil. Tanto mais quando feita individualmente. Mas é honrosa! :)

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  5. Dieguito, como disse, o buraco é mais embaixo mesmo.
    Não tem Argos que dê jeito não, a decadência está mesmo no ser humano.
    Perdemos as referências,não respeitamos as hierarquias, a moral e a decência então ninguem mais possui nem pratica, é o caus total , onde vale tudo.
    Infelizmente é a triste constatação.
    Mas não desista em denunciar e tentar.

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    estou de volta e com saudades desse espaço.
    Parabéns pelo post e S.O.S Pátria amada Brasil, pena que muitos continuam deitados em berço explêndido,tomara que acordem e use a unica ferramenta possivel,oVoto,simples nao reeleger o já está perpetuado aí,
    apareça,
    Boas energias
    Mari

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …