Pular para o conteúdo principal

Ela odeia cobra

Estava conversando com a Sandra ontem a noite. Daí, estávamos conversando sobre bobagens (isso depois da conversa X sobre um post lá do reino.)

Sandra: baby,dei o maior vexame na rua hoje sabia?Um velho fdp, ele vendia cobras de brinquedos dessas que se mexem. Eu estava distraída, ele foi oferecer e encostou aquilo em mim,eu gritei tanto, mas tanto, que todo mundo parou pra olha. Depois xinguei o homem. Odeio cobra.


Eu: Credu amor,da minha você gosta né? E a minha é anaconda ahahah.

Sandra: Bobo, eu não assisto a filmes que tem cobras, sabia? Tenho pesadelos, acordo gritando. Mas aquele homem fez de propósito. Todo mundo parou pra ver quem era a louca q tava gritando quando vi que era de pano comecei a me recompor, mas xinguei o homem. Ele veio perto de novo, mas não tanto, mesmo assim eu me afastei pq tenho horror á cobra. Não assisto filmes com elas, não vejo reportagens. Nossa, me dá uma sensação estranha, sei lá, aflição. E eu disse que se ele chegasse perto de mim ia apanhar. Ele deu risada, mas ficou na dele.


Eu: Obaaaaa!

Sandra: Porque essa euforia e alegria em saber desse meu pânico por cobras?


Eu: baby, veja só. Quem tem medo de baratas aqui?

Sandra: VOCÊ! ahahahah

Eu: E você tem medo de cobras. Então, eu te protejo das cobras, porque eu não tenho medo, e você me protege das baratas. Pronto! Resolvido.


Sandra: HOMENS!

Eu: agora você vê a grande vantagem que você leva né?

Sandra: Agora retornando aquele assunto do inicio sobre aquela sua postagem no reino. Eu não gostei porque acabou me expondo. E outra. Não faça mais isso.

Eu: Ta baby. Mas vai me desculpar né? E outra, vou poder dormir aqui?

Sandra: Vai sim Diego, só que no sofá, até passar a minha raiva. (Sou meio kigrandinho pro sofá que só cabe metade do meu corpo)


Eu: mas, e se aparecer uma barata, quem vai me salvar?

Sandra: Aqui não tem baratas.

Eu: Mas cobra tem né? Ahahahah (eita que mente poluída a minha)

Sandra: Seiiiiiii Diego. Se for a anaconda que eu estou pensando. Ela que nem ouse chegar perto de mim. O velho que me assustou com aquela, quase apanhou. E no seu caso, você vai apanhar mesmo.

Eu: Creduuuuuuu! Ta bom.

Sandra: Éder!! Fazer xixi pra dormir.(Éder é o pequeno tsunami “filho dela”)Dieeeeeeeego! Você também. Nada de fazer xixi no meu sofá viu?Se não eu te bato.

Eu: ta bom baby. Eu vou deitar, to com meu nariz aqui entupido, minha garganta arranhando.

Sandra: Bem feito! Quem mandou ficar saindo por aí de madrugada?

Eu: (fazendo cara de cachorro sem dono)

Sandra: E não adianta ficar me olhando assim. Você está de castigo. Greveeeee Sr.Diego.

Eu: Puxa! Vai fazer o que agora?

Sandra: Vou assar pão de queijo.



Eu: Ah, assim num vou dormir não. Eu quero.

Sandra: Ué, não estava aí reclamando de dor e bla bla.

Eu: Você pelo menos é normal, faz pão no horário decente. E eu? Que só faço pão de madrugada quando perco o sono.

Sandra: Você é incomum, diferente e doido.

Eu: Lembra desse vídeo? Foi onde tudo começou né baby?



Comentários

  1. E dizer que essa conversa de cobras e baratas (se fosse de cobras e aranhas, o Raul se torceria na tumba), sem querer já virou uma crônica...

    Tens talento, cara!!

    Abçs!!

    ResponderExcluir
  2. Não sei porquê... mas acho que vais ficar castigado mais uma vez... desta vez por causa da "conversa" do Nonsense.
    ahahahhahah

    Abraços
    Luísa

    ResponderExcluir
  3. A minha irmã disse que estava num onibus na Praia do Recreio quando o motorista precisou freiar. Era uma cobra ENORME saindo da areia da praia. Atravessou o asfalto.
    A minha irmã disse ao motorista:
    - Imagine, quantas vezes estive ali. Vamos imaginar que eu esteja deitada, lendo uma revista, olho para o lado e vejo o que olhando para mim?! kkkkkkkkkkkk

    Incrível, não? !?!?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

Mulheres preferem homens peludos ou depilados?

"Peito depilado parece estar virando moda entre os homens, mas do que será que as mulheres gostam mais? É impressionante, mas parece que os homens peludos sumiram. O motivo? Depilação. Com cera, com laser, com barbeador... Afinal, como tudo nesse planeta, depois de aparecer na televisão, a moda ganha as ruas rapidinho. E quase não se vê mais atores descamisados exibindo um peito cabeludo. Mas, afinal, o que as mulheres preferem?

Algumas preferem os peludos...


Entre as mulheres procuradas pelo iG, a maioria garante que prefere os que mantêm os pelos. “Eu gosto de homens peludos. No peito é muito bom”, diz Alexandra Muniz. “Dois tipos de caras depilam. Os atletas e os marombados, para exibir os peitos de pombo”. A gerente comercial de web, de 27 anos, acha o visual lisinho coisa de mulher. “O pelo dá uma idéia de masculinidade, de conforto. Deitar a cabeça em um homem lisinho é como estar deitada com uma mulher”, brinca ela, que alerta: “Não é que eu gosto do tipo Tony Ramos, viu!”.…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …