Pular para o conteúdo principal

Diferentes lados no dia da criança.

Essas cenas sao reais e existem...

 
 
 




 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
As cenas comoveram? Acho que não. Ninguem queria está na pele dessas crianças. Mas podemos imaginar o que elas estão sentindo. Dor! Muita dor.


Agora as cenas que nos mostram e nos deixam tão felizes..



 
 
 
 
 
 

Maravilhosas cenas. Concordo.

"Uma criança no colo da mãe agonizando de fome.(em algum lugar do mundo)

- Mãe! Deus ama crianças?

- Claro meu filho! Ele ama todos nós.

- E porque tenho fome? Sinto tanta fome. Onde está Deus?

- Está no céu!

- E lá no céu tem pão?

- Tem sim meu filho. Lá ninguem tem fome.

- Então eu quero ir pro céu.

A criança faleceu nos braços da mãe."

P.S: Sem mais palavras.

Comentários

  1. Esse é o contraste da qualidade de vida, onde muita das vezes reclamamos por faltar o supérfluo, e esquecemos que muitos precisam do essencial para sobreviver.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. As primeiras fotos são muito tristes e o que mais choca é saber que são reais. Eu sempre choro quando vejo. São cenas de cortar o coração. E revoltantes!

    Os Correios recolhem cartas de crianças carentes todos os anos na época do Natal, essas cartas ficam lá, qualquer pessoa que se dirigir a um deles e pegar uma carta, pode dar à criança o presente que ela deseja. Assistindo a um programa no ano passado fiquei muito comovida, um menino pediu um queijo de presente, pois a mãe não podia comprar. E ganhou o queijo e mais um brinquedo, a alegria dele foi contagiante.
    Quem pode ajudar, deve!

    Que bom seria se todas as crianças pudessem sorrir satisfeitas como as das últimas fotos né?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Pois é Diego. Coisas que não deveriam existir. Mas aos milhões existem as primeiras crianças. Tristes todos os seus dias, negros e sem esperança!...

    Grande abraço
    Luísa

    ResponderExcluir
  4. Não dá para tapar o sol com a peneira, o homem é cruel com sua infância, mata e maltrata seu futuro, lembrei da música dos Titãs, Marvin

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Que contraste doloroso! pena ver imagens que nos causam choque...

    bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  6. MUITO TRISTE MESMO IMAGENS IMPACTANTES,ÓTIMO POST NOS FAZ REFLETIR O QUANDO AINDA FALHAMOS, ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  7. Diego, realmente muitas injustiças, mas, tudo isto é culpa dos adultos, que continuam a colocar mais crianças no mundo .... não adianta culpar governos, falta de sensibilidade, grandes potências, os primeiros culpados são os pais que colocaram estas crianças no mundo.

    ResponderExcluir
  8. Hoje estou tao emotiva... e as primeiras cenas acabaram comigo... não tenho palavras, só dor...

    ResponderExcluir
  9. imprecionante, já param para pensar enquato seus filhos estao ganhando do bom e do melhor a crianças tendo q parti dividi a metade de um pao para 4 ou 5 pessoas, Deus o ajude .

    ResponderExcluir
  10. Nossa as imagem são muitos chocantes infelizemente são reais e causa uma dor enorme em nossos coraçoes.
    bjus

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …