Pular para o conteúdo principal

Inibidores do sexo - Quando um não quer, dois não fazem!



Muitos casais vão se encaixar nessa postagem que trata de comportamento sexual, excesso ou inibição.
A minha namorada vem me ajudando a tratar do meu desejo compulsivo por sexo. Ela está me fazendo entender que, sexo não é tudo em uma relação. Isso se deu quando ela percebeu que eu queria sexo todo dia e a todo o momento, sem se importar se ela estaria com vontade ou não.
As pessoas quando se referem as outras com o termo “pervertido”, as vezes por brincadeira quando se trata de algo entre quatro paredes na intimidade do casal. Até a perversão que tem como nome cientifico “parafilia” que logo mais abaixo irei mostrar a definição, tendo limites não causa problema na vida do casal.

"Parafilia é o termo atualmente empregado para os transtornos da sexualidade, anteriormente referidos como “perversões”, uma denominação ainda usada no meio jurídico. Estudar as Parafilias é conhecer as variantes da sexualidade e do erotismo em suas diversas formas de estimulação e expressão comportamental. É muito difícil conceituar a sexualidade normal (veja artigo O Normal em Sexualidade), a ponto de o médico inglês Havelock Ellis ter dito que “todas as pessoas não são como você, nem como seus amigos e vizinhos, inclusive, seus amigos e vizinhos podem não ser tão semelhantes a você como você supõe.”
As Parafilias são fantasias sexualmente excitantes, são desejos sexuais fortes ou, ainda, comportamentos envolvendo objetos não-humanos, sempre recorrentes e intensos. Essas parafilias podem causar sofrimento e humilhação ao paciente, a seu parceiro(a), filhos, familiares, bem como envolvimentos policiais e judiciais. Atualmente, entretanto, os sintomas das parafilias podem envolver outros padrões culturalmente questionáveis, como é o caso da masturbação repetitiva, pornografia pela Internet, hipersexualidade, etc. (Veja outro texto sobre Parafilias)"


A minha namorada achava que tinha problemas de frigidez,  procurou tratamentos, até apelou para SexShop em busca do pozinho mágico. Quando então, ela acabou por descobrir que não havia problema nenhum de frigidez, e sim algum bloqueio causado por fatores externos (exs namorados) que não proporcionaram o prazer por ela esperado. Até que ela encontra quem acabou por ser a cura  solução, seu atual namorado (Eu).

“O desejo sexual é como um apetite. Uma experiência que impulsiona qualquer pessoa a buscar ou a tornar-se receptiva ao encontro sexual.

Contudo, nem sempre essa experiência faz parte da vida de homens e mulheres, pois, é muito comum o interesse por sexo diminuir devido a certos fatores considerados inibidores.

Alguns problemas orgânicos como anemia, deficiência cardíaca congestiva ou hipotiroidismo podem gerar uma baixa no desejo sexual, como também o uso de determinadas medicações:

- anti-hipertensivos,
- tranqüilizantes
- drogas a base de estrogênio (para os homens).”

Eu e minha namorada discutíamos demais quando se tratava de sexo, quando eu queria e ela não. Até cometia o erro de me tornar furioso e querer fazer sexo a força por não aceitar a vontade dela. Procuramos nos entender de qualquer forma para que a nossa relação chegasse ao fim.


O primeiro ponto: surge um momento na vida em que um dos parceiros não terá vontade de ter relações sexuais. Em maior ou menor intensidade, isso acontece com todos os casais. Quando uma pessoa não quer ter relação sexual, a outra se apega a isso mais do que nunca e começa a sentir que, se não houver sexo, o relacionamento terminará.

Quanto mais você pedir, mais medo ele sentirá. O relacionamento desaparecerá não porque o sexo desapareceu, mas 
porque você insiste em pedir e ele se sente continuamente importunado. Ele não sente vontade de fazer amor, mas pode se forçar a fazer, e com isso ele se sentirá mal; ou, se ficar na dele, também se sentirá mal por estar fazendo você infeliz; ele se sente culpado.

Uma coisa precisa ser entendida: 
o sexo nada tem a ver com o amor. No máximo, ele é um começo. O amor é maior que o sexo, mais elevado do que o sexo. O amor pode florescer sem o sexo.


ALGUNS INIBIDORES DO SEXO PARA OS HOMENS:
 - Mulheres que são guarda de trânsito na cama.

- Cadáver sexual: Mulher que não reage na cama

- A tagarela sexual: Mulheres que falam demais na cama.

 – Mulheres que não se cuidam.
• Axilas e pernas sem raspar
• Mau hálito
• “Bigode”
• Mau odor vaginal
• Pele ruim, coberta de toneladas de maquiagem
• Odor no corpo

- Mulheres que não gostam de seus próprios corpos e ficam diminuindo-se.

– Mulheres que se preocupam com a aparência em excesso.

- Mulheres que não gostam que lhes façam sexo oral

- Mulheres que beijam mal

- Mulheres sérias demais.

– Mulheres excessivamente carentes e ‘aderentes’.

- Mulheres burras e superficiais’.

– Mulheres que se importam apenas com a posição financeira do homem

– Mulheres que usam sua sexualidade para manipular os homens

– Mulheres que ficam falando de amantes anteriores.

– Mulheres que não são sexualmente espontâneas.

– Mulheres que usam roupa Íntima feia, por exemplo:

• “calcinhas como minha mãe costumava usar”
• calcinhas soltas que ficam penduradas por cima da bunda
• calcinhas ou sutiãs esticados
• sutiãs que parecem protetores de peitos (alças grossas e um monte de
ganchos)
• sutiãs que não cabem (muito grandes ou pequenos demais).

Postagens mais visitadas deste blog

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

Dia do inimigo

Muita gente critica a comemoração do Dia do Inimigo. Dizem que é mais uma jogada comercial, uma data inserida no calendário apenas para aumentar os lucros de pistoleiros e espancadores profissionais.Mas nós, que somos de raiz, sabemos apreciar o espírito da coisa. E damos o maior valor àquela tramóia simples, executada sem grandes orçamentos, mas planejada com muito ódio no coração, que é o que importa. Inimigo de verdade não se importa com inflação, crise de alimentos, essas bobagens. Isso só motiva mais.
E como a data se aproxima, hoje vamos fazer um teste para você ver se está pronto para comemorar: 1 – Quantos inimigos você tem?
a) 0
b) 1
c) De 2 a 10
d) Parei de contar2 – Você já se reconciliou com um inimigo?
a) Sim
b) Nunca
c) Algumas vezes, para esfaquear pelas costas em seguida
d) O que é “reconciliar”?3 – Qual o maior motivo para iniciar uma inimizade?
a) Dinheiro
b) Ciúme
c) Inveja
d) Não preciso de motivos4 – Seu(sua) inimigo(a), vamos reconhecer, dá o maior caldo. Você pegaria?
a) Nem …

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…