Pular para o conteúdo principal

A inveja quando não mata....


Um brilhante texto  Por Rubens Fava. 

"Uma das causas mais influentes de nossa infelicidade é a inveja. Falar de inveja é falar de comparação. Quando uma pessoa se compara a outra e se sente inferior, em algum aspecto está com inveja. Não estamos afirmando que toda vez que uma pessoa se compara a outra está com inveja, estamos dizendo que nunca poderá haver o sentimento de inveja se não houver a comparação. 
É o desequilibro íntimo oriundo de um sentimento de inferioridade, fruto da comparação que se faz em relação à outra pessoa em algum aspecto específico. Quando impedimos que alguém se desenvolva em todos os sentidos, estamos tentando esconder todas as nossas frustrações pessoais e principalmente o prestar contas com nosso próprio potencial não efetuado. Aferir nosso potencial perante outrem sempre será doloroso e quanto maior for o sentimento de estarmos aquém de alguma expectativa ou de determinada pessoa, maior será a possibilidade de se deflagrar um sentimento de inveja. Em algumas ocasiões perdemos o controle, então, surge a vingança.  
A verdade é que muitas pessoas não estão preparadas para administrar suas próprias frustrações e ficam absortas pela fúria quando as coisas não saem como planejaram. O motivo é que estas pessoas não possuem nenhum treino para a contrariedade ou crítica, seja construtiva ou não, é muito difícil para elas admitir o sucesso de uma outra pessoa e o sentimento resultante é a inveja. O invejoso não inveja o que é de uma outra pessoa, mas o que esta pessoa é. Ele não consegue perceber que jamais poderá ser esta outra pessoa, e que insistir nesta empreitada é perda de tempo, pois, deixa de desenvolver suas potencialidades e deixa passar a oportunidade de brilhar com sua própria luz. O tributo maior cobrado pela inveja é estar à sua disposição constantemente, exaurindo esta energia negativa em direção a algo que realmente poderia dar certo. Estas pessoas deveriam usar sua energia para construir algo realmente positivo, mas, infelizmente, não o fazem.

A inveja é o termômetro dos ataques ou injustiças dirigidas, o grande problema é achar que este sentimento é o mesmo que destrutividade o que não é verdade, obviamente, um ato destrutivo pode ser resultante de um sentimento de inveja acumulativo, porém, não podemos esquecer que este sentimento de inveja pode também ser benéfico ao mostrar a nos o que causa o mal estar.


Exemplo de rede social. "Por favor, será que vc poderia me excluir definitivamente da sua lista de amigos?? É que o teor de suas postagens não me interessam em nada, e sou diariamente bombardeado por suas indicações q ocupam o lugar de outras q por ventura possam me interessar mais.Obrigado."
Teor da inveja: Ele poderia ter usado o senso e ter apenas excluído a pessoa sem precisar de alarde grosseiro. Porém, ver "bombardeio de indicações" causou inveja.

Por isso é preciso perdoar estas pessoas e seguir em frente. Perdoar sempre será um ato que implica o extremo peso do passado, mas, temos que estar cientes e conscientes de que haverá sempre uma energia extra e por respeito ao nosso íntimo devemos prosseguir, isto não significa esquecer, pois, perdoar não é esquecer é viver em paz.

É certo que nada que resulte do progresso humano é conseguido com o consentimento unânime e aqueles que são mais iluminados são condenados a perseguir esta vida apesar dos outros. Parece não ser incomum, no meio corporativo, a sina de se conviver com a inveja, a ingratidão e a ambição de pessoas despreparadas, sem visão futura e que por isso agem nas sombras. Pessoas que passam pelo bosque e só vêem lenhas. Pessoas que carregam as características de perdedoras, que só pensam em minimizar o risco, respeitar a cadeia de comando e não exceder ao orçamento.

O fato é que somente quando formos padrão de nos mesmos, reencontraremos a alegria de ser o que somos, de ter o que temos, de viver como vivemos. Somente o exercício de autocomparação nos levará à auto-aceitação, à realização do nosso próprio tamanho. Portanto, quando se deparar com este tipo de sentimento ao longo de sua jornada seja você mesmo, ou melhor, seja mais você."


Fonte: Administradores.com

Postagens mais visitadas deste blog

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

Dia do inimigo

Muita gente critica a comemoração do Dia do Inimigo. Dizem que é mais uma jogada comercial, uma data inserida no calendário apenas para aumentar os lucros de pistoleiros e espancadores profissionais.Mas nós, que somos de raiz, sabemos apreciar o espírito da coisa. E damos o maior valor àquela tramóia simples, executada sem grandes orçamentos, mas planejada com muito ódio no coração, que é o que importa. Inimigo de verdade não se importa com inflação, crise de alimentos, essas bobagens. Isso só motiva mais.
E como a data se aproxima, hoje vamos fazer um teste para você ver se está pronto para comemorar: 1 – Quantos inimigos você tem?
a) 0
b) 1
c) De 2 a 10
d) Parei de contar2 – Você já se reconciliou com um inimigo?
a) Sim
b) Nunca
c) Algumas vezes, para esfaquear pelas costas em seguida
d) O que é “reconciliar”?3 – Qual o maior motivo para iniciar uma inimizade?
a) Dinheiro
b) Ciúme
c) Inveja
d) Não preciso de motivos4 – Seu(sua) inimigo(a), vamos reconhecer, dá o maior caldo. Você pegaria?
a) Nem …

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…