Pular para o conteúdo principal

A inveja quando não mata....


Um brilhante texto  Por Rubens Fava. 

"Uma das causas mais influentes de nossa infelicidade é a inveja. Falar de inveja é falar de comparação. Quando uma pessoa se compara a outra e se sente inferior, em algum aspecto está com inveja. Não estamos afirmando que toda vez que uma pessoa se compara a outra está com inveja, estamos dizendo que nunca poderá haver o sentimento de inveja se não houver a comparação. 
É o desequilibro íntimo oriundo de um sentimento de inferioridade, fruto da comparação que se faz em relação à outra pessoa em algum aspecto específico. Quando impedimos que alguém se desenvolva em todos os sentidos, estamos tentando esconder todas as nossas frustrações pessoais e principalmente o prestar contas com nosso próprio potencial não efetuado. Aferir nosso potencial perante outrem sempre será doloroso e quanto maior for o sentimento de estarmos aquém de alguma expectativa ou de determinada pessoa, maior será a possibilidade de se deflagrar um sentimento de inveja. Em algumas ocasiões perdemos o controle, então, surge a vingança.  
A verdade é que muitas pessoas não estão preparadas para administrar suas próprias frustrações e ficam absortas pela fúria quando as coisas não saem como planejaram. O motivo é que estas pessoas não possuem nenhum treino para a contrariedade ou crítica, seja construtiva ou não, é muito difícil para elas admitir o sucesso de uma outra pessoa e o sentimento resultante é a inveja. O invejoso não inveja o que é de uma outra pessoa, mas o que esta pessoa é. Ele não consegue perceber que jamais poderá ser esta outra pessoa, e que insistir nesta empreitada é perda de tempo, pois, deixa de desenvolver suas potencialidades e deixa passar a oportunidade de brilhar com sua própria luz. O tributo maior cobrado pela inveja é estar à sua disposição constantemente, exaurindo esta energia negativa em direção a algo que realmente poderia dar certo. Estas pessoas deveriam usar sua energia para construir algo realmente positivo, mas, infelizmente, não o fazem.

A inveja é o termômetro dos ataques ou injustiças dirigidas, o grande problema é achar que este sentimento é o mesmo que destrutividade o que não é verdade, obviamente, um ato destrutivo pode ser resultante de um sentimento de inveja acumulativo, porém, não podemos esquecer que este sentimento de inveja pode também ser benéfico ao mostrar a nos o que causa o mal estar.


Exemplo de rede social. "Por favor, será que vc poderia me excluir definitivamente da sua lista de amigos?? É que o teor de suas postagens não me interessam em nada, e sou diariamente bombardeado por suas indicações q ocupam o lugar de outras q por ventura possam me interessar mais.Obrigado."
Teor da inveja: Ele poderia ter usado o senso e ter apenas excluído a pessoa sem precisar de alarde grosseiro. Porém, ver "bombardeio de indicações" causou inveja.

Por isso é preciso perdoar estas pessoas e seguir em frente. Perdoar sempre será um ato que implica o extremo peso do passado, mas, temos que estar cientes e conscientes de que haverá sempre uma energia extra e por respeito ao nosso íntimo devemos prosseguir, isto não significa esquecer, pois, perdoar não é esquecer é viver em paz.

É certo que nada que resulte do progresso humano é conseguido com o consentimento unânime e aqueles que são mais iluminados são condenados a perseguir esta vida apesar dos outros. Parece não ser incomum, no meio corporativo, a sina de se conviver com a inveja, a ingratidão e a ambição de pessoas despreparadas, sem visão futura e que por isso agem nas sombras. Pessoas que passam pelo bosque e só vêem lenhas. Pessoas que carregam as características de perdedoras, que só pensam em minimizar o risco, respeitar a cadeia de comando e não exceder ao orçamento.

O fato é que somente quando formos padrão de nos mesmos, reencontraremos a alegria de ser o que somos, de ter o que temos, de viver como vivemos. Somente o exercício de autocomparação nos levará à auto-aceitação, à realização do nosso próprio tamanho. Portanto, quando se deparar com este tipo de sentimento ao longo de sua jornada seja você mesmo, ou melhor, seja mais você."


Fonte: Administradores.com

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …

Corra que Cosme e Damião é amanhã! Ajude um hospital que é melhor.

Se você ver crianças comendo doces de Cosme e Damião, Deus vai punir?



Sim, com cáries e dor de barriga. Ahahaha.
Cosme e Damião foram médicos, ajudaram as pessoas. Essa é uma tradição divertida da cultura brasileira. Ou Deus vai punir quem ganha presentes de papai noel, ou chocolates do coelhinho da páscoa????


Segundo a igreja evangélica não adere a essas práticas porque deve gratidão somente a Cristo e não aos santos nem a orixás. Pois esta escrito no livro de Hebreus, que depois da morte segue-se o juizo, portanto nada podem fazer aqueles que já morreram.


Segundo os católicos: São Cosme e São Damião eram irmãos gêmeos, que viveram na Arábia no sçc. III. Foram martirizados por se recusarem a abjurar a Fé Católica e oferecer sacrifícios aos deuses pagãos.



“De fato, esta prática de distribuir doces no dia de São Cosme e São Damião não é católica. A umbanda, para dar um tom católico aos seus rituais supersticiosos e pagãos, adotam nomes de santos católicos para as divindades que adoram. 


Por…