Pular para o conteúdo principal

O que é ser "gente fina elegante e sincera"?


Continuando a trilogia, a coluna de hoje é da minha convidada Eninha. 

O "doido" do meu amigo Diego convidou-me a escrever um artigo: "Gente fina elegante e sincera" .Eu ?! A escrever? Ele disse-me: “sim e não me venha com desculpas. Mal sabe ele que está a comprometer  terrivelmente a reputação do seu blog .


"Na na anti-sala do meu escritório  tem um autocolante de um macaco gigante preso a um galho que diz : "Each monkey on its branch" - Cada macaco no seu galho . Isso pode dizer tudo...

Enfim... Então tá Diego,  é  por sua conta e risco.

Vem cá , me conte aí : Qual a melhor recompensa por estar vivo ? Chocolate, sorvete magnum , férias tropicais, abraços,  amores,  sexo, uma noite perfeita de sono a satisfação de um trabalho bem feito ? Para cada um há mil respostas, mas seu  garanto :  Ser ou procurar ser gente fina, elegante e sincero é um prazer supremo...

Nós todos queremos, não é?. Mas...  Eu entendi. Eu sei, eu sei você não tem tempo. Trabalha demais, tem problemas demais, está sozinho demais, a vida está sendo dura demais consigo, você não tem os recursos e blá ,blá , blá ...é difícil, não é ? As desculpas rolam soltas... 

Não importa idade, riqueza, raça ou situação de vida, a vida é boa quando somos pessoas bacanas é naturalmente isto vem ligado a bom humor. Não abro mão de acreditar nisto.
Os sorrisos indicam que apesar de tudo  o peso do mundo não levou você a lona. Você pode até ir, mas, não fique lá! 

Todos os dias acontecem coisas maçadoras (chata!) em nossa vida. Já pensou no acúmulo disso? Ache o humor nelas! Sempre que algo chato e frustrante ocorre, transforme-o em sua cabeça. Claro, que eu fico indignada quando fico salpicada com lama, intensifica mais ainda se eu pisar em um  cocô do cão, ou inadvertidamente manchar umas das minha camisetas  branquinhas . Na realidade, de fato essa é a resposta mais normal. Mas eu não ganho absolutamente  nada com isso.  É melhor encontrar uma maneira de rir dos pequenos aborrecimentos da vida. Você vai dizer: pensa que  é fácil?  ... Não, não é! Comece a praticar e você vai ver uma coisa...
Lembre de momentos embaraçosos da vida e depois descubra humor neles. Isso faz de nos pessoas vulneráveis, mais leves com a vida e consequentemente com as pessoas a nossa volta.
Eu por vezes ( por vezes! ) sou uma pessoa digamos... despistada e coloco-me em situações vulneráveis e nenhuma delas afetou-me , pelo contrario. Lembro-me que quando eu mais quis impressionar uma pessoa num primeiro encontro deu tuuuuudo errado. Sabe quando você tem tudo, tudinho estrategicamente planejado e põe tudo a perder? Eu não contava que ele poderia fazer uma surpresa e oferecer-me de cara  um sorvete Magnum ( amo magnum ! ) eu estava tão nervosa que consegui jogar o sorvete fora e enfiar o papel na boca  !! Pois é... sorry! ...isso, as vezes ,sou eu... era para chorar ? Enervar? Não, rimos tanto e quanto mais eu tentava consertar, o irremediável pior ficava a solução é... rir Como a historia acabou? Sem queixas, tudo certo na Bahia. Às vezes é bom ser vulnerável... Vai por mim (risos).

Acho também que hostilidade deve ser respondida com humor. A vida é demasiada curta para transformar tudo em uma ofensa pessoal, em guerra. No entanto, se você é constantemente ofendido por alguém em particular, aí sim, leve a sério e tomar as medidas cabíveis. Mas para problemas pontuais, ou se nada do que você faz muda a situação, dê a resposta do humor e pronto.

A bondade. Algumas pessoas dizem que não há tal coisa e é impossível fazer algo para ajudar outra pessoa, sem termos algo em troca, mesmo que seja apenas um sentimento "aconchegante". Eu diria que há. E tenho provas disso. Agora o que me dá motivos de preocupações são as expectativas subjacentes que se têm quando se dá "desinteressadamente".

Descobri que essas expectativas causam mais estresse do que alegria.  Estragam o ato de "dar",  pois elas levam a decepção . Ajudar alguém que está lutando com sentimentos difíceis...  Dizer  para alguém que você sabe que bem entende em vez de usar o erro como uma oportunidade para manipular a sua culpa.São formas de ser gente" fino  e elegante "

Ok! Eu sei que alguém aí vai dizer: ninguém é sempre gentil. A natureza humana dita como vamos agir é conforme a ocasião. E eu acho que ,  tudo bem, contanto que façamos um esforço, sempre que possível de fazer o bem por causa do bem.

Enfim, essa conversa comprida toda para dizer que a maneira como você vive é em grande parte um reflexo do que você tem, das crenças que você formou.  Quem sou eu para criar um defini aqui regras eu sei o funciona comigo do que admiro nas pessoas a minha volta e o que quero ser para elas.
Nós cometemos erros, reconhecê-los, fazer  o melhor, e aprender com eles é fundamental. Não há nenhuma razão negar bondade. Isso é uma atitude " elegante".

Penso que é importante na vida nós decidimos como merecemos ser tratados. Eu já decidi. Isso é sincero.
(ufá! tá feito Diego)

By Eninha R. M. Passos Aires de Campos"

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

Dia do inimigo

Muita gente critica a comemoração do Dia do Inimigo. Dizem que é mais uma jogada comercial, uma data inserida no calendário apenas para aumentar os lucros de pistoleiros e espancadores profissionais.Mas nós, que somos de raiz, sabemos apreciar o espírito da coisa. E damos o maior valor àquela tramóia simples, executada sem grandes orçamentos, mas planejada com muito ódio no coração, que é o que importa. Inimigo de verdade não se importa com inflação, crise de alimentos, essas bobagens. Isso só motiva mais.
E como a data se aproxima, hoje vamos fazer um teste para você ver se está pronto para comemorar: 1 – Quantos inimigos você tem?
a) 0
b) 1
c) De 2 a 10
d) Parei de contar2 – Você já se reconciliou com um inimigo?
a) Sim
b) Nunca
c) Algumas vezes, para esfaquear pelas costas em seguida
d) O que é “reconciliar”?3 – Qual o maior motivo para iniciar uma inimizade?
a) Dinheiro
b) Ciúme
c) Inveja
d) Não preciso de motivos4 – Seu(sua) inimigo(a), vamos reconhecer, dá o maior caldo. Você pegaria?
a) Nem …