Pular para o conteúdo principal

O primeiro protótipo do amante latino fabricado pela indústria de Hollywood,


Primeiro símbolo sexual do cinema universal, Rodolfo Alfonso Raffaello Piero Filiberto Guglielmi nasceu no dia 6 de maio de 1895, em Castellaneta, Itália. Radicado nos Estados Unidos, transformou-se numa das estrelas mais populares dos anos 20 (inclusive, do cinema mudo). Protótipo do amante latino fabricado pela indústria de Hollywood, imigrou para os EUA em 1913, época em que trabalhava como jardineiro e lavador de pratos.


Cinco anos depois, começou a trabalhar no cinema fazendo pequenos papéis. Segundo os especialistas, sua fotogenia e habilidade como dançarino lhe garantiram um lugar no elenco de Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, em 1921, que o transformou em astro.

Valentino era filho de mãe francesa, Marie Berthe Gabrielle Barbin. Seu pai, Giovanni Antonio Giuseppe Fidele Guglielmi, veterinário, morreu de malária quando ele tinha apenas 11 anos. Possuía um irmão mais velho, Alberto, e duas irmãs, Maria e Beatrice, que morreu ainda pequena.
Quando criança, Valentino tinha um comportamento inquieto em sala de aula, fazendo que seus pais freqüentemente fossem chamados pelos professores. Após viver em Paris, em 1912, retornou a Itália, onde não conseguia se estabelecer em nenhuma atividade profissional. Fato que o motivou a abandonar seu país.

Ao chegar a Nova York, logo fica sem dinheiro e passa um tempo pelas ruas da cidade. Eventualmente arrumava alguns bicos, como manobrista ou como jardineiro. Mas, por pouco tempo. Por sorte, o ator teve um relacionamento com a famosa herdeira chilena Blanca de Saulles, casada com o empresário John de Saulles, rico e poderoso, mas que a não satisfazia plenamente.

Não se sabe realmente se ela e Valentino tiveram um caso, porém quando ela pediu o divórcio, Valentino tomou partido de Blanca em relação a divisão de bens, que não havia sido feita corretamente. Após o divórcio, Saulles usou suas conexões políticas e fez com que Valentino fosse preso, juntamente com Mrs. Thyme, uma conhecida madame, em "situação constrangedora não especificada" pela imprensa da época. Após o escândalo, Valentino não conseguia mais emprego novamente. Então, deixa a cidade e se junta a um musical viajante, que o levou para a Costa Oeste americana.

O começo
Em 1917, Valentino acompanhou uma troupe musical que viajou para Utah, mas por pouco tempo. Juntou-se, então, a Al Jolson na produção de Robinson Crusoe, viajando a Los Angeles. Em seguida foi a São Francisco com a peça Nobody Home. Lá, encontrou o ator Kerry Normando, que o convenceu tentar uma carreira no cinema, ainda na época em que não havia som. Ele continuou dançando, tendo como clientes mulheres mais velhas que lhe ofereciam luxos. Seu sucesso como dançarino o fez encontrar um quarto na Sunset Boulevard e começar ativamente a procurar papéis no cinema. Sua primeira participação foi no filme Alimony. Esforçou-se durante algum tempo para não ser somente chamado a fazer papéis de bandido ou gângster. Naquele tempo, o maior astro era Douglas Fairbanks, o típico wasp. Porém, em 1917, volta para Nova York uma visita, e acaba por conhecer Paul Ivano, que se tornou seu mecenas.

Ao viajar para Palm Springs, nas filmagens de Stolen Moments, Valentino leu a novela The Four Horsemen of the Apocalypse, de Vicente Blasco Ibáñez. Procurando um papel diferente , descobriu que a Metro havia comprado os direitos de produção da história. Em New York, procurou o escritório da produtora para falar com June Mathis, que acabou por selar uma espécie de paz entre Valentino e o diretor do filme, Rex Ingram.

Os quatro cavaleiro do apocalipse, foi lançado em 1921, transformando-se um sucesso comercial e crítico. Era uma das primeiras películas a dar lucro de mais de $1.000.000 , assim como 0 6º melhor filme da era em termos de venda.

A Metro parecia pouco disposta a reconhecê-lo como estrela, provavelmente devido à falta de fé do diretor Rex Ingram nele. Assim, o estúdio recusou-se a dar um aumento de US$ 350 semanais pelo sucesso do filme. Para ele fazer a continuação da obra, forçaram-no a participar de um filme B, chamado Uncharted Seas. E foi neste filme que Valentino conheceu sua segunda esposa, Natacha Rambova. Ela, Mathis, Ivano e Valentino começaram a trabalhar no filme Camille, de Alla Nazimova . Mas, o filme foi considerado muito vanguardista por críticos

O último filme de Valentino para a Metro foi The Conquering Power. Após o lançamento, viajou a Nova York para encontrar-se com vários produtores franceses. Com desejo de trabalhar na Europa, onde se pagava melhor e havia mais respeito, Valentino retornou, terminando seu contrato com a Metro.

O Sheik
A partir daí, decidiu-se pelo estúdio de Jesse Lasky, especializado em produzir filmes mais comerciais. Lasky pretendia capitalizar o sucesso de Valentino e associou a ele o estereótipo do latin lover. No filme The Sheik, Valentino interpretava o sheik Ahmed Ben Hassan. O filme foi um sucesso e definiu não só a sua carreira, mas sua imagem e seu legado. Rodolfo Valentino tentou manter à distância o estereótipo de homem árabe.

Famosos produtores realizaram mais quatro filmes nesse segmento ao longo dos 15 meses seguintes.

Em novembro de 1921, Valentino foi trabalhar ao lado de Gloria Swanson in Beyond the Rocks, que possuía figurinos extravagantes. Lançada no ano seguinte, a película recebeu críticas negativas.
Também em 1922, Valentino começou a trabalhar com Mathis em outro filme, Blood and Sand. coestrelado por Lila Lee e Nita Naldi. Valentino interpretava um toureiro, cujo nome era Juan Gallardo. Acreditando inicialmente que o filme seria rodado na Espanha, ele descobriu que o estúdio planejou o lançamento em Hollywood, e que o diretor e a produção haviam sido mudados.

Após o termino das filmagens, Valentino casou com Rambova, que no fim descobriu que ele era bígamo. A bigamia de Valentino se tornou pública e o casal foi forçado a anular o casamento e se separar por um ano. Independente disso, o filme foi um sucesso, com críticas positivas. Blood and Sand se tornou um dos quatro mais rentáveis filmes de 1922, quebrando recordes de bilheteria.

O casal continuou trabalhando (separadamente) na produção de Mathis chamada The Young Rajah. Fragmentos deste filme ainda existem, sendo redescobertos em 2005. O filme não superou as expectativas e não teve uma boa performance financeira. Valentino colocou a culpa da falta de lucratividade do filme em sua separação. Sem Rambova, ele retorna a Nova York após o lançamento de The Young Rajah. Ao mesmo tempo, Valentino pensou em não voltar aos estúdios de Lasky, mesmo ambos já tendo firmado contrato para o próximo filme , The Spanish Cavalier.

No final de 1922, Valentino conhece George Ullman, seu futuro empresário. Ullman havia trabalhado com a Mineralava Beauty Clay Company, e os convenceu que Valentino era perfeito para ser orador, graças a sua legião de fãs. A tour foi um sucesso, com Valentino e Rambova fazendo performances em 88 cidades nos EUA e Canadá. Além da excursão, Valentino e Mineralava patrocinavam concursos e produtos de beleza. Um deles foi filmado pelo jovem David O. Selznick, e intitulado Rudolph Valentino and His 88 Beauties.

Os filmes
Quando retornou aos EUA, com uma oferta da Ritz-Carlton Pictures - que trabalhava com Jesse Lasky - , que incluía US$ 7,500 por semana, controle criativo e filmagem em Nova York, Rambova negociou dois filmes com Jesse Lasky e quatro com a Ritz Carlton. Valentino aceitou, desistindo de uma oferta italiana, Quo Vadis.

O primeiro filme com o novo contrato era Monsieur Beaucaire, onde Valentino interpretava o Duke de Chartres. O filme ficou ruim e a audiência americana achou afeminado. A falha do filme, controlado por Rambova, é considerada a prova para Valentino bani-la de seus sets. Em 1924, Valentino fez o último filme para os estúdios de Jesse Lasky (The Sainted Devil). Tinha figurinos diferentes e uma história fraca. Apesar disso, começou vendendo muito bem , mas logo se tornou mais um fracasso.

Com seu contrato cumprido, Valentino foi liberado por Jesse, mas obrigado a fazer os quatro filmes para a Ritz-Carlton. Seu trabalho seguinte se chamou The Hooded Falcon. A produção começou mal, Valentino pediu a Mathis que o rescrevesse. Mathis levou isso como um insulto e não falou com Valentino por dois anos .Rambova começou a criar figurinos, e rescreveu o script de Falcon. Valentino foi persuadido a filmar Cobra, com Nita Naldi, mas também impôs suas condições: só faria se ele não fosse lançado antes de The Hooded Falcon.

Após filmar Cobra, o elenco de The Hooded Falcon foi a França para a finalização do figurino. Depois de três meses, voltando aos EUA houve uma enorme excitação devido a Valentino ter deixado a barba crescer para o filme. O grupo e os moldes foram ser preparados em Hollywood, mas muito do orçamento foi gasto somente na pré-produção.

As mulheres o amavam e o incluíam em suas fantasias românticas. Movidos por ciúme, os homens americanos foram oprimidos, tendo aversão a seus filmes. Valentino acabou sendo visto como uma ameaça a todo o homem americano.

Valentino era profundamente sedutor. Colocava os maridos de lado, ou simplesmente como mais um item doméstico .Homens podiam ser como Douglas Fairbanks, mas copiavam o olhar de Valentino. Um homem com cabelo para trás perfeitamente lubrificado foi chamado um "Vaselino".

Alguns jornalistas desconfiavam de sua masculinidade, só porque usava pomada para o cabelo, ou porque vestia roupas engomadas, a forma com que tratava as mulheres, seus pensamento sobre elas e o quanto era afeminado ou não.

Relacionamentos
Em1919, antes da ascensão de sua carreira, Valentino casou-se impulsivamente com a atriz Jean Acker. Ela era lésbica e rapidamente se frustrou, deixando Valentino fora de seu quarto na noite de núpcias. O casamento acabou sendo anulado, por nunca ter sido consumado. Eles passaram legalmente casados até 1921, quando Acker pediu o divórcio. Porém, ela ficou recebendo pensão. Apesar de seu comportamento heterodoxo o e o uso do termo "Sra. Valentino" (um nome a que ela não teve nenhum direito legal), ambos foram amigos até sua morte.

Valentino conheceu Natacha Rambova (figurinista, diretora de arte e protegida de Nazimova) durante as filmagens de Uncharted Seas, em 1921. Os dois trabalharam juntos no filme Camille, onde tiveram um envolvimento romântico. Eles casaram em 13 de maio de 1922, no México. Assim, Valentino foi condenado por bigamia (pois não estava divorciado por um ano cheio, segundo as exigências da lei de Califórnia).

Tendo de esperar um ano ou ser preso, Rambova e Valentino viveram em apartamentos separados até que em 14 de março de 1923 casaram-se legalmente.

Muitos amigos de Valentino não gostavam da autoritária Rambova e seu controle sobre o amigo. Durante o casamento com ela, Rodolfo Valentino perdeu muitos amigos e sócios em negócios. Divorciaram-se em 1925, litigiosamente, com Valentino não dando um dólar seu a Rambova

A sexualidade de Valentino sempre foi objeto de especulação. Houve quem dissesse ser ele homossexual, tendo tido relacionamentos com ambos seus colegas de quarto Paul Ivano e Douglas Gerrad, e ainda Norman Kerry (assumidamente gay), Jacques Herbertot e Andre Daven.

Um pouco antes de sua morte, Valentino estava tendo um relacionamento com a atriz Pola Negri. Negri fez uma cena em seu funeral, dizendo que eles haviam casado, o que até hoje não se sabe realmente.

Morte
Em 15 de agosto de 1926, Valentino teve um colapso, em Nova York, sendo hospitalizado e submetido a uma cirurgia de emergência de uma úlcera perfurada. A cirurgia foi um sucesso e ele pareceu recuperar-se. Infelizmente, é vítima de uma peritonite que se propagou por todo seu corpo, matando-o oito dias depois.

Mais de 100 mil pessoas foram às ruas de Nova York para homenageá-lo. O evento em si era um drama próprio: a atriz Pola Negri desmoronou de histeria sob o caixão, janelas foram despedaçadas pelas fãs. Revelou-se mais tarde como uma ação de marketing. A missa fúnebre de Valentino ocorreu na Igreja Malachy de Saint, chamada frequentemente de "capela do ator", porque fica situada na Rua do Oeste 49th no distrito do teatro de Broadway, e tem uma associação longa com figuras do show business.

Depois que seu corpo foi levado por trem através do país, um segundo funeral se deu na Costa Oeste, na Igreja do Bom Pastor, em Beverly Hills. June Mathis, seu grande amigo, ofereceu sua cripta para que Valentino fosse enterrado, pois seria uma solução provisória. Entretanto, Mathis morreu no ano seguinte e Valentino foi colocado na cripta adjacente. Os dois ainda estão enterrados lado a lado no cemitério de Hollywood.

Durante anos, em todos os aniversários de sua morte, uma mulher de negro colocou rosas em seu túmulo. Descobriu-se em 1945 que ela era Marion Brenda, que Valentino conhecera numa festa pouco antes de morrer. Ela afirmava ter se casado com ele, o que nunca também foi comprovado.

Morreu em conseqüência de uma úlcera, aos 31 anos de idade. Diz a lenda que várias mulheres suicidaram-se, desesperadas pela sua morte prematura. E você, seria capaz de se matar, psicologicamente falando, por um amor platônico?

fonte: Portal italia

Comentários

  1. Gostei muito Diego!
    Eu adoro estas biografias.

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  2. Diego... adorei a biografia de Valentino... como fiz teatro, acabei estudando um pouco sobre ele.
    Mas quanto ao seu questionamento, não me mataria nem psicológicamente e nem fisicamente por nenhum amor, porque acredito que o principal motor do amor é a compreensão de que a vida do outro não é a minha e de que o outro não é a razão da minha felicidade!
    Só entregaria minha vida sem pestanejar e se fosse necessário, ao meu filho!
    Beijo no coração

    Ps. Assisti alguns filmes dele, e afirmo, este homem tinha um forte carisma e muuuuuiiiiittttoooo charme!

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo Diego! Interessante a biografia dele.
    Curioso... umas 2 semanas atrás assisti um pedaço de o sheik no TCM.
    Forte abraço, Fernandez.

    ResponderExcluir
  4. Olá Diego,

    O Rodolfo Valentino não é da minha época, apenas vi a biografia.. naquela época os ídolos eram fabricados para consumir os filmes...

    Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

Dia do inimigo

Muita gente critica a comemoração do Dia do Inimigo. Dizem que é mais uma jogada comercial, uma data inserida no calendário apenas para aumentar os lucros de pistoleiros e espancadores profissionais.Mas nós, que somos de raiz, sabemos apreciar o espírito da coisa. E damos o maior valor àquela tramóia simples, executada sem grandes orçamentos, mas planejada com muito ódio no coração, que é o que importa. Inimigo de verdade não se importa com inflação, crise de alimentos, essas bobagens. Isso só motiva mais.
E como a data se aproxima, hoje vamos fazer um teste para você ver se está pronto para comemorar: 1 – Quantos inimigos você tem?
a) 0
b) 1
c) De 2 a 10
d) Parei de contar2 – Você já se reconciliou com um inimigo?
a) Sim
b) Nunca
c) Algumas vezes, para esfaquear pelas costas em seguida
d) O que é “reconciliar”?3 – Qual o maior motivo para iniciar uma inimizade?
a) Dinheiro
b) Ciúme
c) Inveja
d) Não preciso de motivos4 – Seu(sua) inimigo(a), vamos reconhecer, dá o maior caldo. Você pegaria?
a) Nem …

Alerta as mulheres - Cuidado com as hemorragias na menstruação.

A minha amada por um bom tempo sofreu de hemorragia na menstruação. Ela achava que seria normal, ou algo do tipo que médicos dizem ser disfunção hormonal, ou outra coisa boba. Mas não é! Até o momento que essa hemorragia acaba por interferir na sua vida sexual e principalmente afetando sua saúde. O problema do ser humano, é só procurar ajuda médica quando o problema já está avançado. Então mulheres! Vocês têm que dá um stop aí na sua rotina e tirar um tempo para fazer um check-up e ter a consciência tranquila que fez a sua parte. Não faça isso pensando apenas em você. Pense também, nas pessoas ao seu redor que não se vê nessa vida sem a sua presença. Alguém que te ama, quer você bem porque precisa do seu amor e sua atenção.
"Você já se imaginou ficando menstruada por 3 meses ou mais ininterruptamente? Pois é, não é normal, mas acontece com mais freqüência do que se imagina. No Brasil, essa é uma queixa constante e crescente, em média 30% das mulheres em período reprodutivo se que…