Pular para o conteúdo principal

Os tristes. No sentido estritamente emocional da coisa.

Esse post é para aquelas pessoinhas "tristes" que se sentem provocadas pela "felicidade" alheia. (ahahahah) Desculpe, nao me segurei.


Não podemos ser todos felizes.
Alguns de nós terão de se contentar em ser apenas contentes, muitos outros, um bocadinho menos tristes… Mas há muitos que, por opção, serão apenas uns tristes!
E o mais triste é que, muitas das vezes, o ser “triste” é mesmo uma opção!

Os tristes não se regozijam com a felicidade alheia, não sabem rir de uma boa piada, não conseguem engolir o brilho nos olhos dos outros.
Os tristes não têm amigos, têm conhecidos que invejam; não têm palavras simpáticas, têm comentários anónimos; não têm colegas que com fazem equipa, têm filhos da p*** a quem tentam tramar; não têm quem os alegre, pois não conseguem alegrar ninguém; não são felizes, porque não fazem ninguém feliz…
Mas o pior nos tristes é mesmo a tendência azeda de tentar fazer com que os outros sejam tristes, tanto ou mais que eles. É a tentativa hipócrita e mesquinha de tentar minar momentos bons com sarcasmo, sentimentos nobres com maledicência… Tudo com o vil propósito de que sejamos todos uns tristes.
Muito pior que matar, a inveja apodrece… devagarinho!
O sentimentozinho de merda, de mesquinhez… profundamente nacional “eu sou um coitadinho, mas os outros também são!”, “eu estou mal, mas os outros estão pior…”, “pimenta no cu dos outros para mim é refresco!”
Que tal se, em vez de olharem para a felicidade dos outros e quererem a todo o custo estragá-la, os tristes tentassem ser tão felizes quanto eles? Isso trabalha-se e é, realmente, uma opção…
Mas é preciso parar de tirar o cutão do próprio umbigo e ir à luta!
De quem um dia já foi uma “triste” e optou por tentar ser feliz.

(fonte)

Esse aqui entao, achei o máximo:
"O primeiro e mais importante passo é ter total controle do seu psicológico, porque o que mais vai fazer, é duelar contra você mesmo. Trabalhar o psicológico não é algo tão fácil assim, precisa armazenar experiências passadas, desilusões e planos pro futuro, tudo deve estar ligado numa linha muito tênue pra não se envolver. Não se envolver requer muito cuidado, até mesmo, porque quando o corpo deseja algo, o cérebro parece não ter controle de nada, não sejamos hipócritas, o tesão fala mais alto sim, tanto pra homem quanto pra mulher, acontece que a mulher é treinada desde que nasceu pra negar o tesão, se não negar será vista com olhos maldosos, como libidinosa, mulher fácil, mas enfim, isso não vem ao caso por enquanto, se não estaria fugindo do contexto. Agir com a razão é a segunda e não menos importante coisa a se fazer, lembre de tudo o que já passou, do que fizeram com você, de como se sentiu e tente não passar de novo, se precisar falar, fale, faça, grite, não interessa, o que vale é deixar claro que não vão te fazer de idiota outra vez. A diferença da pessoa ‘normal’ para a que pretende controlar seus sentimentos é que uma sofre depois e a outra sofre antes, respectivamente. No inicio de tudo, deve sempre mentalizar que por mais que a pessoa seja ótima, não se apegue! Porque se ela é maravilhosa, você vai encontrar uma muito melhor lá na frente, pense assim “Se você conhece São Paulo e ama, imagina quando conhecer Paris?!”, claro que existem pessoas que amam SP e se contentam com isso, ótimo pra elas, mas não se enquadram em nosso perfil, somos diferentes, somos pessoas dispostas a sofrer um pouco agora pra se proteger de sofrer muito mais lá na frente, porque quanto mais alto se subir maior será o tombo. Não digo pra não viver um historia legal, talvez tenha futuro, mas se pensar assim desde o inicio, quando vier a decepção, não vai se machucar, porque sua cota de sofrimento veio antes. Trabalhe sua possessão, nem todos tem esse defeito, mas pra quem tem (como eu) fica a dica: não pense que é dono de alguém, claro que pra quem é possessivo é difícil pensar assim, mas tem que ser fácil fingir, sorria, demonstre que tudo está bem, não dê crises de ciúmes, mas se for inevitável deixe claro que não é por medo de perder e sim por você. Tenha hobbies, saia, ocupe sua mente, se não, só vai ficar pensando em quem não deve, como não podemos controlar o subconsciente, fale pra você o tempo todo que não vai pensar em ‘fulano’ e não pense, não se permita. E essa é uma questão, não se permitir, não se dê o direito de acreditar no que falam, porque pra quem quer ter autonomia dos seus sentimentos, todos estão mentindo até que provem o contrario, acredite nas atitudes e não nas palavras, porque falar olhando nos olhos, os mentirosos são mestres, e da mesma maneira que falam pra você, falam pra qualquer um, só que é importante deixar explícito que acreditou em tudo o que te falaram, é simples, “eles fingem que diz a verdade, você finge que acredita” e assim todos ficam felizes, enquanto isso sua barreira de proteção vai se solidificando. Não disse que seria fácil, mas é tudo uma questão de hábito. E lembre-se: “A coisa mais difícil é se livrar de uma mulher fácil”."
fonte

Lamentável que existam pessoas que se alimentam diariamente de suas tristezas, derrotas e melancolias, e nao reagem contra tudo isso, e sim, se revolta e fica tentando acabar com a alegria das pessoas.


P.S: "Você com sua alma negra estraga a felicidade alheia"

Comentários

  1. O termómetro do sucesso é apenas a inveja dos descontentes.
    Salvador Dalí

    A inveja de muitos anuncia o merecimento de alguns.
    Marquês de Maricá

    A inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la.
    Ramón Cajal

    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Olá Diego!

    Penso que as pessoas tristes, podem não ter qualquer intenção de prejudicar o próximo.

    Repara que há quem tenha, mas não se pode generalizar.

    Quantas pessoas há que são, bem sucedias socialmente e têm uma mente completamente maldosa, prejudicando todos os que lhe parecerem potenciais "rivais"?
    Nós é que lhes chamamos "tristes" porque eles andam alegremente a lixar a vida alheia, muitas vezes só porque sim!

    Quantas pessoas há que são tristes, por diversas razões pessoais e sociais, mas que não fazem mal a ninguém e por vezes até têm um sentido de solidariedade mais desenvolvido do que a média?

    Beijocas
    Luísa

    ResponderExcluir
  3. É curioso como nós aprendemos as mesmas coisas por caminhos diferentes. Eu aprendi que somos felizes quando nossa vida está normal, com a nossa rotina e aquelas coisinhas que facilmente esquecemos que fazem parte do dia a dia. Basta tirar isso, que vemos como "éramos" felizes! Por isso não é difícil ser feliz.

    Mas existem aqueles que parecem que querem ser infelizes a qualquer custo. Só veem o lado ruim. Estes, como a Luisa falou, podem ser também inofensivos. Não fazem mal a ninguém. Outros, já gostam de estragar a alegria dos outros.

    Entretanto conheço também um tipo que parece até bem alegre, mas parece que vão se sentir ainda melhores se os outros estiverem tristes.

    ResponderExcluir
  4. Olá Diego. Eu achei bem interessante os textos, mas não pude deixar de notar que refletem um certo amargor por parte de quem os escreveu. Um desabafo diante da própriia realidade. Não que esteja errado, ao contrário, porque retrata o que vemos no dia a dia. Entretanto, alguns, eu não chamaria de tristes, mas de pessimistas.
    Beijos
    Bel

    ResponderExcluir
  5. Olá Diego,

    Quem nasceu para ser urubu.. jamais será um colibri..

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá querido amigo Dieguito,

    Parabéns pelo post.

    As duas mensagens são excelentes, mas faço ressalvas: Com relação ao primeiro texto:- Nem todos os seres humanos tristes desejam ver as pessoas felizes tristes também, somente os invejosos. Há de se separar os sentimentos de tristeza e de inveja, pois são bem distintos. Quando uma pessoa reúne os dois sentimentos, daí sim, ela se identifica com a pessoa do contexto da mensagem.

    Com relação ao segundo texto, que diz : "" não se dê o direito de acreditar no que falam, porque pra quem quer ter autonomia dos seus sentimentos, todos estão mentindo até que provem o contrario, acredite nas atitudes e não nas palavras, porque falar olhando nos olhos, os mentirosos são mestres, e da mesma maneira que falam pra você, falam pra qualquer um, só que é importante deixar explícito que acreditou em tudo o que te falaram, é simples, “eles fingem que diz a verdade, você finge que acredita” e assim todos ficam felizes"".

    Todos, com exceção de alguns, somos amigos virtuais. E como podemos olhar nos olhos para acreditar no que o outro fala? Não há como. Precisamos acreditar no que falam. Por isso, nosso diálogo diário, nossas mensagens de paz, de carinho que publicamos aos amigos; quando chamarmos o amigo de "querido amigo" é porque o queremos muito bem, mesmo que sejam para muitos, pois a cada dia, nosso rol de amigos vai crescendo e a cada post, a cada comentário, a figura ao lado(foto ou avatar) vai sendo fixada em nossa mente e em nosso coração e passamos a “conhecer”, a apreciar a conduta, a amar o amigo. Quando falarmos "te amo" , é porque amamos. Quando desejamos "a paz do Senhor" é porque realmente desejamos que a paz do Senhor esteja com a pessoa. Quando desejamos "Carinhoso e fraterno abraço" é porque queremos realmente que o outro, para quem estamos falando/escrevendo, sinta-se carinhosamente abraçado pelo abraço apertado de amor fraterno pelo irmão/amigo.

    A internet é interação e fazemos essa interação através de nossa amizade, de nossa atenção para com o amigo, diariamente, quando possível.

    Será que sou tão otimista ou muito ingênua? Mas acredito na amizade de vocês, mesmo sem olhar nos olhos, mas ao ler o que escrevem.

    Esta é uma família e amo a todos os membros que a compõem.

    Carinhoso e fraterno abraço,
    Lilian

    ResponderExcluir
  7. Saudações!
    Que Post Fascinante!
    Amigo Diego, gostei muito da sua análise sobre o tema. O pior é que existem alguns que amam dar más notícias!
    Parabéns pelo excelente texto!
    Ótimo Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

    ResponderExcluir
  8. Oi, amigo, ótimo seu post, concordo que isso acontece. bjs

    ResponderExcluir
  9. Diego!

    Confesso que nunca li algo tão forte, direto e ousado! gostei demais!

    Sds
    Kellen

    ResponderExcluir
  10. Diego, alegrias e tristezas fazem parte da vida de cada um. Mas eu nunca desejo nada negativo aos outros, porque nao quero que recaia sobre mim e a quem amo. Sua materia é muito boa! Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

Dia do inimigo

Muita gente critica a comemoração do Dia do Inimigo. Dizem que é mais uma jogada comercial, uma data inserida no calendário apenas para aumentar os lucros de pistoleiros e espancadores profissionais.Mas nós, que somos de raiz, sabemos apreciar o espírito da coisa. E damos o maior valor àquela tramóia simples, executada sem grandes orçamentos, mas planejada com muito ódio no coração, que é o que importa. Inimigo de verdade não se importa com inflação, crise de alimentos, essas bobagens. Isso só motiva mais.
E como a data se aproxima, hoje vamos fazer um teste para você ver se está pronto para comemorar: 1 – Quantos inimigos você tem?
a) 0
b) 1
c) De 2 a 10
d) Parei de contar2 – Você já se reconciliou com um inimigo?
a) Sim
b) Nunca
c) Algumas vezes, para esfaquear pelas costas em seguida
d) O que é “reconciliar”?3 – Qual o maior motivo para iniciar uma inimizade?
a) Dinheiro
b) Ciúme
c) Inveja
d) Não preciso de motivos4 – Seu(sua) inimigo(a), vamos reconhecer, dá o maior caldo. Você pegaria?
a) Nem …