Pular para o conteúdo principal

A incrível arte do brasileiro. Furar fila. Você ja furou?

Guardar lugar na fila é o mesmo que furar fila?


 Se existe um povo oportunista é o brasileiro. E essa malandragem toda assoma-se em nosso caráter quando esperamos (im)pacientemente no final de uma fila. Abaixo vou listar alguns dos truques mais comuns e convencionais de quem costuma dar uma de espertinho pra passar na frente dos outros.

O mais tradicional
A pessoa, ao se deparar com o tamanho da fila, dá uma voltinha, olhando a cara de todos, e escolhe a pessoa com a aparência mais cansada e distraída parando repentinamente ao seu lado. Quando a fila anda, ele adianta-se rapidamente e "se inclui" à frente da vítima com a cara mais cínica do mundo.

O truque do amigo
O cidadão, não se contentando em ver tanta gente à sua frente se coloca na ponta dos pés e olha um por um, tentando reconhecer algum semblante no meio de tanta gente. Ao encontrar alguém (por mais que seja uma pessoa com quem tenha falado uma única vez na vida) o meliante acena de longe, esperando um sorriso receptivo, que ao ser recebido faz com que o espertinho caminhe em direção à pessoa e comece a bater um descontraído papo, até que a fila novamente ande e ele, achando graça e disfarçando, se posicione na frente de seu amigo e ali permaneça.

Atendimento prioritário
O furador de filas inventa uma história bem triste e a usa para sensibilizar um aposentado que está prestes a chegar no caixa. O sexagenário acaba aceitando pagar a conta da pessoa. Quando isso não funciona o golpista opta por oferecer propina ao idoso, dizendo-lhe para ficar com o troco.

Guardando lugar
Apesar de não ser visto como um golpe, é sim uma forma de se dar bem às custas dos outros. O oportunista chega dando uma de apressado e, toca no ombro da pessoa á sua frente, alertando-o de que "está ali", e depois sai, para dar uma voltinha, tomar um suco ou simplesmente sentar enquanto guardam seu lugar na fila. Após algum tempo, procura a vítima, que já está na metade do caminho e volta a tocar-lhe o ombro, avisando que voltou, agradecendo-lhe o favor e surpreendendo a todos os que estavam atrás.


Direto no caixa
A pessoa adentra o recinto, dá várias voltas e decide aplicar o golpe do pedido de informação. Dirige-se ao caixa, posiciona-se ao lado da pessoa que está sendo atendida, e avisa o próximo da fila que vai apenas pedir uma informação. Quando chega ao caixa, o aproveitador faz de tudo pra que seu problema seja resolvido sem que os enfileirados percebam, e sai encarando todos com olhar superior, aliviado por não ter que esperar na fila igual aquele bando de otários.


E aí, se identificou com algum desses golpes? Conhece algum outro? Comente!
FONTE


Mr.Jones aqui já furou fila de padaria. ahahahah Foi sem querer, eu nem havia percebido que se tratava de fila.

Comentários

  1. ahahahahah
    Conheço todos! Mas, confesso, por já ter sido enrolada. Eu não teria lata para "furar" uma fila.

    Abraços
    Luísa

    ResponderExcluir
  2. NÃO SEI QUAL DELES É PIOR E MAIS IRRITANTE...
    OUTRA COISA QUE ACONTECE MUITO NOS BNCOS, É UM CAMARADA CHEGAR COM UM MALOTE OU ENVELOPE, E SE ENCOSTAR AO LADO DE UM CAIXA CONHECIDO, E O PIOR DE TUDO ,COM A CONIVENCIA DOS RESPECTIVOS GERENTES.

    ResponderExcluir
  3. Guardando lugar - eu sempre vou procurar uma fila mais vazia no caixa do mercado, se vejo alguma entro e ligo no cel. do marido (amor to no caixa tal) e lá vem ele com 10 carrinhos cheios, hehehe

    ResponderExcluir
  4. Não vou mentir! Já furei fila sim...brasileiro tem "mania" de fila!!! Vamos combinar! E a compensação foi aceitar resignadamente as "furadas" alheias e não foram poucas...acho que tenho cara de boazinha, daí fininhos abusam.
    #beijojávou

    ResponderExcluir
  5. Mr.Jones,
    Fura-Fila, nem o do Pitta.
    Esse tipo mau educado deve ser banido da face da terra. (a não ser os distraídos na fila do pão. rsrs).
    O que mais me irrita é quando no supermercado, você escolhe aquela fila porque a pessoa que está à frente tem poucos ítens e aí vem o comparsa com um carrinho lotado e entra na sua frente. A filha fica com um pacote de bolacha na mão e lá vem a mãe com 300 ítens e passa a sua frente.
    É de irritar qualquer um.
    Abs.

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Quem faz isso está praticando um ato de corrupção. Quem faz isso não pode criticar ninguém que praticam atos de corrupção. Levar vantagens às custas de outras pessoas é ato de pessoas sem caráter, ética, moral e seriedade.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…