Pular para o conteúdo principal

Dar esmolas. Coração generoso ou burrice?


“Uma esmola pelo amor de Deus/Uma esmola/Meu! Por caridade/Uma esmola Pr'o ceguinho, pr'o menino/Em toda esquina Tem gente só pedindo”(Skank)

Bem, eu gostaria de saber o que vocês pensam quando se deparam com um pedinte de rua. Quando você tem o coração generoso e dá a esmola, tem sempre alguém que fala “Ah, você está contribuindo para o aumento da mendicância!”.

Eu sei, e todo mundo sabe que a situação de empregos no Brasil está lamentável. Mas eu não sou acostumado a dar esmolas. Morei muito tempo no exterior, e isso por lá é crime e quem dá também é punido.

Em qualquer lugar do Brasil (sim, porque na Europa eu não chegava a ver pedintes) você sempre vai encontrar um pedinte , seja pedindo dinheiro ou comida. E as histórias desgraçadas que contam pra conseguir o seu "trocado"? Uns dizem que a mãe morreu, e inventam doenças malucas, sem contar nas inúmeras histórias do nosso nordeste (que veio do sertão, fugindo da seca e tal)e também a apelação pra Deus.

Um exemplo. Em São Paulo. Quem já pegou um trem super cheio em plena 7 horas da manhã já ouviu o belo e tão conhecido discurso: "Eu podia tá matando, podia tá roubando mas tô aqui pedindo sua colaboração...".

Ah...e não nos esquecemos dos incríveis erros de português. O fato é os trevos que surgem em sua cabeça ao pensar se deve ou não acreditar naquela história ou se deve mesmo ajudar o pobre coitado (ou não).

Claro que sabemos que são centenas e esse número tende a crescer principalmente na época do Natal, vai ver é devido ao espírito de caridade existente nessa data.

E engana-se quem acha que esses pedinte passam fome, pedir esmolas nas ruas já virou profissão, e uma profissão bem remunerada. Eles chegam a ganhar mais de dois salários mínimos por mês, e creio que com este salário há grandes possibilidades de sobreviver no país.

Analisando um pouco uma certa modinha de carnaval, percebi que há profundas "influências carnavalísticas" no ato de pedir esmolas. Note: "Ei você aí Me dá um dinheiro aí Me dá um dinheiro aí !". Perceberam?! E visto que as marchinhas, como essa do dinheiro, surgiram na década de 20, e ganharam força com o rádio da década de 30 à de 60 quando ocorre a ascensão do samba-enredo, pode-se dizer que há muito tempo que existe pedintes por aí né?


E um amigo blogueiro já até fez um Cálculo sobre o ganho mensal de um pedinte.

Muitos esmoleiros ganham por mês (na moleza) mais do que você ganha de salário (ralando).

"Vou deixar com vocês uma pequena conta… Vamos supor que seja um pedinte muito ferrado que ganhe apenas 10 centavos a cada parada de sinal. Se você for muito observador(a) pode ver que ele sempre ganha no mínimo uma moeda a cada rodada de sinal. As rodadas de sinal duram em média 40 segundos (20 abertos, 20 fechados, eu já medi isso pq já fui panfleteiro… longa história, depois conto para quem tiver interessado). Considerando isso, a cada 6 rodadas de sinais levariam 4 minutos e ele ganharia 60 centavos. Continue multiplicando. Em 1 hora seriam 9 reais. Já foi uma boa refeição. Mas calma, continue multiplicando… Em 2 horas são 18 reais. Agora vamos supor que ele seja um pedinte “preguiçoso” e peça apenas 4 horas por dia. Lembre-se que estamos fazendo conta de apenas 10 centavos por rodada de sinal. Por dia ele ganharia 36 reais com 4 horas de pedinte. São 36 reais por dia. Vamos supor que ele “peça” religiosamente de segunda a sexta, daria uns 20 dias úteis por mês. Fazendo as contas seriam R$ 720 reais por mês.

Isso seria a PIOR estimativa possível de um cara que ganha apenas moedas de 10 centavos. Refaça essas contas com moedas de 25 centavos. São R$ 1.800. Dobre para uma média de moedas de 50 centavos (as que você costuma dar, lembra?) e você terá R$ 3.600. Então no final das contas você vai encontrar histórias extraordinárias como a de uma senhora que descobri ser profissional da esmola e possui uma casa em bairro nobre aqui da minha cidade e apesar de algumas pessoas saberem e espalharem isso, ela continua a pedir no sinal do mesmo cruzamento por anos. E ela continua ganhando bem." Fonte: zero oitocentos


Eu fiquei surpreso de ver que agora os pedintes não estão atuando só nas ruas. Invadiram o mundo virtual também. E não é brincadeira não. Vejam esse site. http://www.esmola.com/

- Moço você tem uma esmolinha para me dar?
o moço responde:
- vai trabalhar!
- eu pedi para dar uma esmolinha nã
o um conselho...

E sem contar com a esmola que o governo dá, (BOLSA FAMILIApara quem não trabalha) que os menos favorecidos recebem mensalmente e exibem com muito ORGULHO. E acho uma estratégia absurda. Porque induz a pessoa a levar uma vida mansa, recebendo sem trabalhar. Daí vem os que dizem ter um coração de ouro e fala: "Nem todos os menos favorecidos (pobres) tem culpa da crise do país".

"MAS DOTÔ UMA ESMOLA/QUE É DADA A UM HOMEM SÃO/OU LHE MATA DE VERGONHA/OU VICIA O CIDADÃO"/(LUIZ GONZAGA/ZÉ DANTAS)


E SOBRE O GATO BILLY? Alguem lembra desse fato? (crise de risos)








"A pouca vergonha aconteceu no Mato Grosso do Sul e colabora ainda mais para estragar a imagem do programa, já bastante abalada. O coordenador do programa Bolsa-Família na região, Eurico da Silva Rosa. O felino foi cadastrado como Billy da Silva Rosa e recebe o benefício há sete meses. A pouca vergonha só foi descoberta quando o agente de saúde da cidade deslocou-se até a residencia do coordenador para pesar o infante Billy.

O agente de saúde, Almiro dos Reis Pereira, chegou na casa e tocou a campainha. A esposa do culpado então abriu a porta para atender ao chamado. Quando Almiro pediu para pesar Billy da Silva, veio a surpresa: o infante não era gente, era gato. A surpresa atingiu também a esposa do coordenador, Eurico da Silva Rosa. Ela não sabia do golpe do marido, que arrecadava mensalmente 20 reais com o "gato" dado no Bolsa-Família.

A justiça resolveu então investigar o caso mais a fundo. Em toda Antonio João, um dos municipios mais pobres do estado, estão cadastrados exatamente 1.184 pessoas, contando o bichano Billy. Qual não foi a surpresa quando, no meio da investigação, descobriu-se que o esperto Eurico cadastrou, não só o gato, mas seus dois filhos. Detalhe, a esposa dele não se lembra de ter amamentado nenhum deles, pois eles só existem no papel. Além dos 20 reais recebidos pelo peludinho, Eurico arrecadava mensalmente 62 reais por cada filho cadastrado no programa" Fonte: inblogs

Agora quero saber a opinião de vocês e a experiência de vocês.

Desta maneira podemos concluir o seguinte, ou são os pedintes que ganham muito, as pessoas que dão muita esmola, ou o assalariado trabalhador brasileiro que ganha muito pouco mesmo.

Com qual alternativa você fica?

Comentários

  1. A e C.....
    Eu NÃO dou esmolas....ofereço trabalho,pago bem...até hoje não encontrei um pedinte que houvesse aceitado minha proposta...
    Patabéns pelo blog...estou gostando!!!!

    ResponderExcluir
  2. Esse trecho da música de Gonzagão é perfeito para ilustrar o que penso sobre a esmola. Eu não dou, de jeito nenhum! Eu costumo doar roupas, sapatos e todo tipo de coisa, mas para pessoas que trabalham e ganham pouco, como minha faxineira, o porteiro do prédio, etc. Para desocupados e crianças eu não dou! Acho um absurdo e deveria ser crime por aqui também!

    http://sarapateldecoruja.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que dar esmola nunca resolveu o problema d ninguém, pelo contrário, isso só faz "acomodar" as pessoas que estão passando por alguma dificuldade financeira. Se 20 pessoas derem 1 real todo o dia para alguém, esse alguém vai ter 600 reais no fim do mês sem fazer absolutamente nada! Que preocupação teria essa pessoa em arrumar um emprego? Alguma coisa está errada...

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vocês, não dou esmolas e nem recomendo que façam. Sou baiano, moro na cidade de Salvador e vejo muitos mendigos com bom estado físico para trabalhar sem fazer nada! Eles que vão à MERDA, pois trabalho informal e dou um duro danado para conseguir dinheiro, enquanto eles não fazem nada....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …