Pular para o conteúdo principal

Eis a pergunta:Quem é Você Afinal?!

Um colega da blogosfera nos enviou esse artigo. Agradecendo desde já e sucesso para todos nós. Parabéns pelo texto.

"O objetivo deste artigo é fazer você refletir, em vez de só ter pensamentos, como ocorre com a maioria das pessoas. Vamos imaginar a seguinte circunstância. Você sofreu um acidente e acordou no hospital. O acidente foi grave e houve a necessidade de extrair uma parte do seu corpo." O ano é 3311 e a tecnologia médica está bastante avançada. Para você ter uma idéia do avanço da medicina, a parte que removeram do seu corpo, foi do pescoço pra baixo.
Sua cabeça é mantida viva em uma máquina e você consegue se comunicar normalmente com as pessoas a sua volta. E podemos afirmar que não é tão hipotético, já que os casos de tetraplegia só deixam a cabeça funcionando, embora ainda ligada ao corpo. O ator Christopher Reeve por exemplo, mesmo com os movimentos limitados quase a fala, antes de morrer escreveu um livro, criou uma fundação de pesquisas e atuou em um dos episódios de Smalville (SBT), além de ter feito palestras dentro e fora dos EUA. Agora responda a seguinte pergunta: se você fosse reduzido a uma cabeça, você continuaria sendo você? Não diga que seria apenas a cabeça. O que eu quero saber é em qual lugar do seu corpo você está. Na divisão do corpo com a cabeça, se os dois ficassem vivos, você estaria aonde? No corpo ou na cabeça? Creio que sua resposta seja ‘na cabeça’. Mas em que parte da cabeça? Se tirar a pele você continua sendo você? E se tirar os ossos? As orelhas? O nariz? A boca? Os dentes? No final só vai restar o cérebro. Se ele pudesse ser ligado a uma máquina para te devolver o sentido da visão, tato, olfato, audição e paladar e esta máquina ainda permitisse que você falasse, ainda seria você? O Stephen Hawking é um gênio da física e sua condição humana é quase isto que eu descrevi. Está percebendo que você está no corpo, mas você não é o corpo? O cérebro já foi mapeado e os cientistas não encontraram nenhuma parte onde pudesse estar o SER. E por falar no SER, o que somos afinal? Não quero a classificação científica nos reduzindo a seres de carbono. Por que um Stephen Halkings é aclamado mundialmente e outra pessoa em plena forma física nem tanto? O que nos torna diferentes diante das outras pessoas? É que SOMOS o que FAZEMOS. Se considerarmos alguém médico, é porque este alguém exerce a medicina. Se considerarmos alguém advogado, é porque este alguém exerce a advocacia. Eu sei quem sou eu. Eu sou simplesmente um espírito que encarnou iniciando ou reiniciando uma existência corporal. Fui criado simples e ignorante. Evoluir, intelectualmente e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde possa gozar de inalterável felicidade, esta deverá ser a minha meta. Como Espírito, vou conservar a minha individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação. Estou aqui para evoluir, através de várias passagens na terra, intercaladas com passagens no plano espiritual, afinal de contas ninguém pode ver o reino de Deus, se não nascer de novo. E você? Quem é você afinal?
Fonte: http;//adriloaz.blogspot.com

Comentários

  1. Gostei muito do blog, levei o link.
    Vamos trocar parcerias? Agradecida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pseudolalia - Doença da mentira

Pseudolalia - Doença da mentira A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.

A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.

As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um acto inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.
E também há quem diga sempre a verdad…

A fórmula da hipocrisia

A Fórmula E por aí vai esse processo de coar e engolir. Coar e engolir. Coar e engolir (…). As máscaras da hipocrisia tapam para que os outros não vejam os seus próprios erros. Cobram para não serem cobrados. Requerem para não serem requeridos. Acusam para não serem acusados. Essa é a fórmula da hipocrisia: coar mosquitos e engolir camelos. Nas mãos possuem um pequeno coador que investiga os erros dos outros. No estômago, milhares de camelos, frutos das suas faltas pessoais. O coador filtra os mínimos pecados alheios. A garganta, que é o coração, observa a passagem de uma manada dos seus pecados. Como atores profissionais têm a capacidade de interpretar, fingir, enganar e até chorar se necessário. As máscaras demonstram homens ideais e mulheres perfeitas. Cuja aparência é digna de prêmio de integridade. Porém, chega o momento em que o camelo “entala” nas gargantas. A máscara é removida, quando não estilhaçada. Vislumbra-se, então, o ser humano na sua essência: Arrogância, infidelidade, …

A Sexualidade Precoce

Continuando a coluna polêmica, hoje a minha convidada é a MARI COSTA do blog COMO SER UM PROFISSIONAL DE SUCESSO (Faça uma visita e confira).


No mundo contemporâneo, as crianças estão começando cada vez mais cedo a descobrir a sexualidade, não aquela sexualidade que Freud afirmava que a  função sexual existe desde o princípio de vida, logo após o nascimento e não só a partir da puberdade como afirmavam as idéias dominantes,escandalizando  a sociedade repressora daquela época ,Freud delineou uma teoria da desenvolvimento psicosexual com cinco fases distintas: o estágio oral (0 - 1,5 anos) onde sua principal região de prazer é a boca; o estágio anal (1,5 - 3,5 anos) quando região de prazer se desloca para o ânus; o estágio fálico(3,5 - 6 anos) quando dá-se então conta da diferença de sexos, tendendo a fixar a sua atenção libidinosa nas pessoas do sexo oposto e culminou com a resolução do Complexo de Édipo nos meninos, já as meninas o complexo de Édipo nunca se desfaz, seguida de um perío…